“Tenha Alvos”

images

Eu particularmente, não vejo problema nenhum em conviver com pessoas descrentes, com pessoas amarguradas, com pessoas preguiçosas, mas se há um tipo de pessoa que é insuportável caminhar são as pessoas sem alvos.

Criei o hábito de todos os anos montar uma lista de objetivos que desejo alcançar, não significa que nestes anos eu tenha alcançado todos os anseios, mas eles me ajudam a caminhar decididamente.

Se você não estabelecer metas tudo o que acontecer na sua vida foi o acaso, não da nem pra comemorar. Seja decidido, extraordinário porque de ordinário o mundo já está cheio, e é de pessoas que sabem de onde vem e pra onde vão que o mundo precisa. Seja decidido. Escreva metas.

 

Acreditar é preciso…

12527751_941686382592752_1924974365_n

Depois de tanto se decepcionar com os meus amigos e parentes, amores e mestres, eu quase que desacreditei da bondade no homem, da bondade em mim.

Depois de me decepcionar com a humanidade, que dia após dia, há centenas de anos vêm sendo espectador de crueldades indescritíveis e simplesmente não faz nada, eu também não faço nada, no macro e nem no micro eu quase desacreditei.

Acreditar na humanidade toda é mesmo impossível, mas que você hoje acredite nos seus, acredite em você. Ainda que o mundo ande na contramão do que é bom, puro e reto, decida você ser diferente. Acredite em poucos, faça muito por poucos, mas com certeza no muito se alegrará.

Minha prece a Deus hoje é que te ajude, assim como a mim, nos ajude a sermos bom. Minha prece hoje a você: deixe-se ser ajudado.

 

 

 

“Eu entregarei tudo”

felicidade-no-trabalho

Essa é a história de muitas pessoas que tentam preencher suas vidas com coisas, mas continuam vazias, porém existe um caminho; uma verdade que nos leva a encontrar a vida, uma vida preenchida não por algo, mas por Alguém.

O tempo passa rápido demais, nossa vida e prioridades mudam constantemente e possuímos uma tendência enorme a direcionarmo-nos aquilo que não será eterno em nós. Damos um imenso valor para quem não merece, desmerecemos quem faz muito por nós.

Passamos tempo demais preocupados com o futuro de tal modo que esquecemos o presente e só enxergamos o passado quando as feridas doem. Corremos atrás de dinheiro e de objetos supérfluos, não nos lembramos dos singelos momentos.

Até agora só apontei os defeitos, mas então o que fazer para ser verdadeiramente feliz? O negrito responde.

 

 

O menino e o carro das verduras

Felicidade_1

Hoje ao final da tarde, após um dia cansativo, ouvi um barulho que chamava a vizinhança a comprar, “é final de ano” o carro anunciava ofertas, mas não eram de presentes de natal, era um carro que anunciava a venda de frutas e verduras.

Avistei um movimento e era minhas tias indo buscar o dinheiro para comprar frutas e verduras, mas o carro passou sem ‘ouvir’ o chamado delas. Meu afilhado pequenino fez um sinal com a mão e o carro das verduras voltou. O menino ficou numa imensa alegria, os lábios não disseram nada, mas os olhos denunciavam-lhe.

Minhas tias olhavam as frutas e verduras e ele como não conseguia enxergar tudo ficava atento a ouvir o que o senhor as oferecia. As palavras do menino foram engraçadas, nunca pedia nada, mas lançava algumas hipóteses: “eu adoro abacaxi, eu gosto de laranja, pepino é tão bom né?”.

O senhor, dono do carro das verduras, descascou uma laranja e ofereceu ao menino. Minhas tias terminaram as compras e o carro foi embora. O menino muito alegre entrou em casa, ganhou o dia por comprar umas simples verdura.

De tal ilustração, notamos que a vida é o carro das verduras, podemos reclamar do que ali não tem, ou podemos ser feliz no pouco com aquilo de bom que já temos. O problema é que esperamos muito para ser feliz; o carro do ano, a casa moderna, o emprego dos sonhos, a viagem incrível, mas deixamos de perceber que a beleza está nos olhos de quem vê e que todos os nossos dias podem ser feliz à medida que olhamos por outra ótica aquilo que acontece diariamente em nós.

Contagie com amor, não contagie com reclamações. Que em nossa lápide esteja escrito: “ele soube viver”.